Noite do Horror do Museu atrai grande público


A esquina da rua 16 com a avenida 17 foi tomada por diversão e personagens fantasmagóricos na noite da última terça-feira (10), durante a realização da segunda edição da “Noite do Horror - Magno o Espantalho”, realizada no Museu Histórico, Artístico e Folclórico Ruy Menezes. Mais de 200 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos, apaixonadas pelo gênero terror, prestigiaram o evento que teve como tema o universo apresentado no livro Magno, o Espantalho, escrito por Gabriel Sousa Santos, natural de Ivinhema, no Mato Grosso, e que foi morador de Colina, falecido de câncer em março deste ano, aos 14 anos. Entre o público, estudantes, professores e colaboradores da Escola Técnica Agropecuária Municipal “São Francisco de Assis”, de Colina, onde estudou Gabriel Santos, além dos pais do autor, Irani Alves dos Santos Souza e Daniel Batista de Souza, vestidos a caráter. Eles falaram da emoção em participar do evento em homenagem ao filho. “É muito gratificante ver a obra do Gabriel sendo usada como tema da exposição aqui em Barretos”, disse a mãe. “Gabriel sempre gostou desse tema e escrevia com prazer”, falou o pai do menino. Foi apresentada a exposição e números de danças por alunos da escola agropecuária caracterizados de personagens de diversos filmes e histórias de terror. A plateia, divida em grupos pequenos de até 20 pessoas, tiveram a sensação de entrar em um espaço assustador e, ao mesmo tempo, divertido. Do lado de fora foi montada uma praça de alimentação com foodtrucks e disponibilização de maquiagem artística. Segundo o secretário municipal de Cultura, João Batista Chicalé, o evento retrata o objetivo da secretaria. “Retratamos a obra de um morador da nossa cidade irmã e ao mesmo tempo proporcionamos um evento cultural a toda região, reforçando ainda mais a nossa missão de fomentadores da cultura”. Raquel Milagres de Mattos, museóloga responsável pelo museu e pela exposição, ficou satisfeita com o resultado, mas busca ampliar o alcance do evento no ano que vem. “Com uma grande presença de público engajado em um tema que atrai diversos seguidores, o evento foi um sucesso de público, crítica e de compartilhamento pelas redes sociais”, comentou. A exposição continua aberta até o dia 5 de agosto. O livro também está à venda no museu (R$ 15,00) e sua renda será revertida para que os pais do Gabriel Souza Santos possam imprimir os dois outros livros que o jovem deixou escrito.

Edição da Semana
Edição da Semana
Procurar por Tags
Nenhum tag.
Siga o Jornal A Cidade
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black

    Gostou da leitura? Então compartilhe

© 2023 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com