Defensoria Pública atende mulheres vítimas de assédio sexual em escolas e universidades de Barretos


Com o objetivo de enfrentar o problema do assédio sexual em escolas e universidades na cidade de Barretos, a Defensoria Pública na cidade desenvolveu um novo fluxo de atendimento para alunas que se sintam importunadas por condutas inadequadas de professores, diretores ou coordenadores. A nova prática tem como objetivo receber as denúncias de assédio sexual de estudantes da rede de ensino de Barretos, encaminhar as vítimas aos serviços públicos de assistência social e desenvolver atividades de educação em direitos voltadas para essa temática. Segundo o Defensor Público, Gustavo Samuel da Silva Santos, foi instituída uma comissão interdisciplinar para atendimento sigiloso dessas mulheres, composta pelo defensor, por estagiárias, pela agente do Centro de Atendimento Multidisciplinar na Defensoria Pública e por uma representante de um coletivo feminista da cidade. “A comissão é um meio para a defensoria dizer a toda vítima de assédio sexual em Barretos, que ela não está sozinha, que terá o apoio necessário para garantir sua dignidade e segurança”, explicou Gustavo Samuel da Silva Santos, defensor público.

Edição da Semana
Edição da Semana
Procurar por Tags
Nenhum tag.
Siga o Jornal A Cidade
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black