Órgãos públicos poderão contratar moradores de rua em obras e serviços licitados em Barretos


André morava sozinho em uma casa com pouco saneamento básico. Perdeu a mãe aos 10 anos de idade e o pai aos 20 anos. “Eu vivia na rua pedindo dinheiro para comprar droga e comida”, relembra. Após passar por tratamento, André ganhou uma oportunidade de trabalho no Ranchos Lanches, quiosque localizado na Praça Francisco Barreto. “Queria trabalhar e mudar de vida”, revela. Hoje, o atendente da lanchonete possui 28 anos de idade e trabalha há quatro no local. Segundo o empresário Thiago Possa, é um dos melhores funcionários. Um projeto de lei de autoria do vereador Raphael Dutra (PSDB) aprovado na sessão da última segunda-feira (18) exige que os editais de licitação de obras e serviços públicos reservem uma cota de, pelo menos, 2% das vagas para a contratação de moradores de rua. A legislação federal atual já prevê o benefício para ex-presidiários e detentos, desde que o serviço ou a construção necessite de trabalhadores com qualificação básica. Dutra argumenta que a iniciativa busca dar mais dignidade, autoestima e reconhecimento familiar e social a esta parcela marginalizada da população, além de ajudar na inclusão social e na reintegração ao mercado de trabalho. “Sabemos sobre as consequências trágicas do desemprego na vida de trabalhadores que, após perdas sucessivas, estão em situação de rua. Estão sujeitos a lidar com sentimentos de fracasso, alcoolismo e depressão, aos quais são levados pela perda do trabalho, principal referência material, psicológica e cultural da vida de hoje”, afirma o vereador.

Edição da Semana
Edição da Semana
Procurar por Tags
Nenhum tag.
Siga o Jornal A Cidade
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black

    Gostou da leitura? Então compartilhe

© 2023 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com